O título é importante na redação do ENEM

816
0
Compartilhar:

Apesar de ter um apelo estético, significativo e “charmoso”, segundo a coordenadora da correção, o que vale são os argumentos. Veja dicas de professores para fazer um bom título nos vestibulares.

A dissertação no Enem pode ficar sem título: ponto para os esquecidos de plantão. Foi levantada essa questão por alguns candidatos: “Perde nota no Enem quem faz dissertação sem título?”. A coordenadora geral de correção das redações do Enem, Gisele Gama, foi categórica: “Isso é bobagem… Tem gente até que não põe o título para aproveitar o espaço da folha para argumentar. São só trinta linhas, e se o candidato argumentar bem, não tem esse problema. Nunca houve desconto de nota”, explica. Tanto é que o caderno de provas e a folha de resposta do exame não fazem nenhuma recomendação sobre isso.

Porém, de acordo com Gisela, a dissertação deveria ter um título e, durante o ensino médio, os candidatos são instruídos para isso. “Sugerimos um tema, que pressupõe título. Faz parte da metodologia da redação”, diz. “Mas em uma situação de prova isso [esquecer o título] é irrelevante. O argumento tem mais valor”.

Ainda é enfatizado que a correção do Enem não pretende punir os candidatos e, “tudo o que for possível”, vai ser considerado em favor do estudante. “Acabei de pegar algumas provas e vi candidatos que escrevem 15 linhas com grande espaçamento, ou só usaram o meio da linha. A redação ficou do tamanho de um bilhetinho, mas não vai ser anulada. Também não significa que vai ter uma boa nota.”

Como Escolher Um Bom Título?

Nos maiores vestibulares do país, o título também não costuma ser motivo para descontos de pontuação, segundo a professora do laboratório de redação Maria Aparecida Custódio. “Na FUVEST, por exemplo, há redações que receberam dez e não tinham título. Quando um candidato faz um bom texto, a ausência de título mostra só um esquecimento”, diz.

Já para o professor Eduardo Antônio Lopes, mesmo não sendo obrigatório para grandes processos seletivos, fazer aquele esforço por um título criativo. “Ele destaca o que tem de mais importante e atrai leitores. Pode até ajudar na coesão, unidade e coerência do texto”, afirma. No entanto, pondera: “Se o candidato não tiver aquela ideia boa e se o processo seletivo não pedir, o título é indiferente”.

Compartilhar: